quinta-feira, 23 de outubro de 2008

exercitando a sensualidade

sentia-se estranha...
diferente de como se sentia costumeiramente.
sentia-se bonita!
saiu cedo de casa, ou melhor, não tão cedo assim.
saiu de carro, mas continuou a pé.
parou um tempo no ponto de ônibus, que demorou um bocado, por sinal!
subiu no veículo percebendo alguns olhares a sua volta.
não se importou.
deteve-se ainda um tempo na dianteira, no aguardo de seu troco.
passou vagarosamente por aquele corredor, os cabelos soltos esvoaçando e um leve rebolado.
sentou-se na última cadeira, ao lado da janela.
deixou que o vento soprassem em seu rosto, levantando ainda mais o seu cabelo.
pelo vidro que separava as escadas dos assentos, observava o rapaz à sua frente.
percebeu que ele também a observava... um leve sorriso no canto da boca.
aproveitou seu reflexo para descobrir seu melhor ângulo e treinar seu melhor perfil.
olhando-se, nem percebeu que o rapaz deixara o veículo.
mas o que tem de mais?
não haiva nada de mal em exercitar sua sensualidade dentro do ônibus...

2 comentários:

André disse...

escrevendo crônicas marina?
curti. várias formas de um pensamento envolvidos em um curto espaço de tempo!
alguns textos de vida curta abrem janelas para a criatividade!
bjos!

omar disse...

supongo que cualquier hombre en su sano juicio que te encuentre sentada en un omnibus, siendo tú tan preciosa como eres, tendría que mirarte larga y detenidamente, y si el destino le ayuda, seguro que se enamoraría de ti. Preciosa.